Anúncio HOME

Notícias

O que comer

Receitas

Brocado Consciente

Viagens

Anúncio do topo interno


Com o isolamento social imposto pela pandemia de COVID-19, muitos macapaenses evitaram comprar em lojas físicas, optaram pelo delivery e mudaram diversos hábitos.


O reflexo disto foi demonstrado no Censo do Turismo 2020, realizado pelo Instituto Municipal de Turismo (Macapatur) em parceria com o Observatório do Turismo do Amapá (ObTur/AP) com o objetivo de identificar os impactos causados pela pandemia para o setor turístico de Macapá.


De acordo com a pesquisa, em 2020 houve um crescimento de 23% em relação a 2019 do hábito do consumo de alimentos prontos. O mercado consumidor macapaense foi de 226 mil pessoas, ou seja, 56% da população com o habito de comprar de bares, restaurantes, lanchonetes e demais locais que vendem comidas prontas. A maioria da população, 54%, consome somente nos fins de semana e 16% compra diariamente.


Porém, a receita dos empreendimentos formais encolheu 61%, principalmente em razão das medidas restritivas que limitaram os horários e funcionamento presencial do setor gastronômico, além da elevação do valor dos insumos.


“Tivemos um aumento no número de pessoas que criaram o hábito do consumo do alimento fora do lar devido o próprio isolamento social imposto pela pandemia. O que contribuiu também com esse aumento foram os benefícios que o Governo Federal colocou à disposição da população no ano passado”, informou Sandro Belo, coordenador do Observatório do Turismo.


Sandro disse ainda que é importante destacar que em 2020 cerca de 24% das empresas do setor de alimentação fecharam as portas, entretanto, outras empresas surgiram. O que se constatou foi  que diminuiu a formalidade e aumentou a informalidade neste setor, o que é uma preocupação do ponto de vista sanitário e em relação ao cumprimento dos protocolos do combate à COVID-19, uma vez que com os empreendimentos formalizados é mais fácil de fiscalizar e fazer com que se cumpram as legislações sanitárias.


Outra informação importante apontada pelo Censo do Turismo foi que em 2019 os restaurantes representavam 58% da tipologia de negócios mais comuns em Macapá e houve uma queda para 37%.  À la carte é o segundo tipo de negócio mais comum, com 35%, porém em 2019 era 53%. A comida por quilo (self service) em 2019 era de 25% e em 2020 representou apenas 7%.


Em contrapartida, aumentou o percentual de delivery, que passou de 9% em 2019 para 27% em 2020. Além de mais de um modelo de negócio, que somou 31% e em 2019 era de 13%.


O prato executivo, com 59% foi o tipo de alimento mais consumido em 2020 pelos macapaenses, seguido do hambúrguer (21%), pizza (19%), oriental (13%), bebidas (9%), salgados e doces (7%), funcional (5%) e sorvetes (2%).


O que mais influenciou na decisão de compra dos alimentos prontos em 2020 foi sabor/paladar (39%), qualidade nutricional (24%), divulgação (18%), preço (12%) e outros (7%).


Censo


O Censo do Turismo, que é realizado desde 2015, com foco no dimensionamento financeiro e de serviços, abrange as atividades características do Turismo (ACTs), que são: gastronomia, transporte aéreo, artesanato, guias de turismo, perfil do turista, locação de veículos, consumo, economia do turismo, meios de hospedagem e transporte rodoviário. Com as informações de cada setor, é possível diagnosticar quais os principais aspectos do turismo em Macapá e também fazer um planejamento para os próximos anos.




A líder - Jornalista, ariana e apaixonada por doces.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anúncio do rodapé interno

| Designed by Camila Ramos